Quais os impostos comuns que todo brasileiro paga?

A carga tributária brasileira é considerada uma das maiores, se comparada com outros países do mundo. Segundo dados coletados pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o brasileiro destina cerca de 40% de seus ganhos brutos ao pagamento de tributos. Essa carga dedicada aos tributos está inserida em cada alimento, objeto ou serviço usufruído pelos cidadãos.

Apesar de ser tão comuns, a maioria desses impostos são desconhecidos por grande parte da população. Para ficar mais claro, existem duas formas de aparecimento desses impostos: a forma direta e a indireta. A primeira é quando os valores são pagos sobre o consumo e patrimônio de cada cidadão. Apesar de não pesarem tanto no bolso, são os mais conhecidos pelos contribuintes. Já os indiretos, são aqueles que embutidos nos preços finais dos produtos.

Dentro dessa mesma classificação, os impostos ainda podem ser conhecidos como federais, estaduais e municipais. Os federais são: Importo de Renda Pessoa Física (IRPF), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), Imposto Territorial Rural (ITR). Já os estaduais conhecidos estão: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e, para finalizar, os municipais: Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens e Imóveis e de Direitos Reais (ITBI) e Impostos Sobre Serviços (ISS).

Quais os impostos comuns que todo brasileiro paga?

Foto: Depositphotos

Decifrando os impostos

Conheça os principais impostos que são pagos pela maioria dos brasileiros a partir do consumo e patrimônio de cada cidadão:

Impostos federais

IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física)

É um imposto cobrado a partir da renda declarada pelo cidadão. O percentual a ser pago é definido a partir da declaração, sendo proporcional, variando entre 7,5 a 27,5%.

IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados)

Incide sobre os produtos industrializados, nacionais e estrangeiros, como o próprio nome sugere.

IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)

O imposto é cobrado a partir de qualquer tipo de operações de crédito, câmbio, seguro e demais operações relacionadas a títulos e valores mobiliários.

ITR (Imposto Territorial Rural)

Pago anualmente pelos proprietários de terras na área rural, expressando o domínio útil do título. O imposto varia conforme o tamanho da propriedade e grau de utilização. Quanto maior a terra, maior o valor do imposto a ser pago.

Impostos estaduais

ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)

Incide sobre as operações relativas à circulação de mercadorias e prestação de serviço de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação. Tanto o contribuinte físico quanto jurídico estão expostos a cobrança do ICMS.

IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores)

Cobrado com o propósito de ser revertido em melhorias para as estradas que cortam o país, o imposto é cobrado anualmente. O percentual é diferenciado em cada estado, podendo variar entre 1% e 4% do valor do veículo.

Impostos municipais

IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana)

Imposto brasileiro que cada pessoa que possui uma propriedade urbana, como um apartamento, sala comercial ou uma casa, tem de pagar. O objetivo do IPTU é fiscal, ou seja, obter recursos financeiros para o Governo. A base de cálculo é estimada no valor do imóvel fixado pelo Poder Público.

ITBI (Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens e Imóveis e de Direitos Reais)

É um tributo que deve ser pago na aquisição de um imóvel e a oficialização do processo de compra e venda do bem.

ISS (Impostos Sobre Serviços)

Incide sob a prestação de serviços, independendo do tipo de mercado. Seu valor, geralmente, corresponde a 5% do serviço.


Escrito por: Robson Merieverton

Categorias: Dicas